Arquivo mensal: novembro 2013

Hotel no Panamá: um bom negócio para o turista!

Na semana passada, o Jornal La Prensa veiculou a reportagem abaixo sobre a guerra de preços entre Hotéis na Cidade do Panamá, o que é uma ótima notícia para os turistas, pois quanto mais oferta, menor o preço.

Fonte: la Prensa
Fonte: la Prensa

Como havia explicado antes, há poucos anos atrás a quantidade e a qualidade de Hotéis no Panamá era duvidosa. Mas desde a devolução do controle do Canal pelos EUA aos Panamenhos, o país está vivendo um crescimento econômico impressionante impulsionado pela grande quantidade de empresas internacionais que se instalam por aqui.

Ou seja, as empresas trazem uma grande quantidade de expatriados para trabalhar, que demandam um aumento da estrutura geral da cidade (serviços, restaurantes, compras, diversão…). Assim atrai-se turistas de negócio e de lazer.

Além, é claro, da própria Copa Airlines que permite ao viajante, em conexão internacional, ficar até 2 dias no Panamá sem pagar nenhuma taxa extra de remarcação de passagem!

Segundo o Jornal, baseado em dados da Autoridade de Turismo do Panamá e a Associação Hoteleira do Panamá (Apatel), a quantidade de quartos de hotel aumentou 40% entre 2010 e 2013, o que reflete em algo de 4 a 5 mil quartos disponíveis só na Cidade do Panamá (mais uns 2 mil no interior e nas praias) sendo que se esperam mais 4 mil quartos a serem disponibilizados em todo o país até 2015 (nos Hotéis em construção).

Somente até Setembro de 2013 entraram no Panamá 1,5 milhões de turistas, resultando numa média de ocupação hoteleira de 52%. Isso significa que metade dos quartos fica ociosa, e pelas leis de mercado, maior oferta significa menor preço.

Quarto Luxo, Trump Ocean Clube & Hotel. Foto de divulgação.

É exatamente isso que está acontecendo no Panamá: uma chuva de ofertas e uma briga ferrenha por hóspedes que resultam em descontos que variam de 20% a 45% no valor das diárias! E eu considero esse fato uma grande oportunidade para o turista porque a linha de base de hotéis no Panamá é, geralmente, muito nova!

Muitos dos hotéis em operação aqui tem menos de 7 – 5 anos de idade e são praticamente todos pertencentes às cadeias internacionais famosas (Waldorf Astoria, Wyndham, Riu, Hard Rock, Marriot, Blue Tree, Hilton, Sol Melia, Intercontinental, Le Meredien, etc…), de categorias de  3 a 5 estrelas!

Por exemplo, segundo a Apatel o Hotel Riu Plaza (+4 estrelas) tem promoções de quartos à USD 69,00 para os fins de semana, enquanto o Hard Rock chega a oferecer quartos por USD 95,00 (enquanto o valor da diária, em média, nestes Hotéis fica em USD 130,00 durante a semana)!

OK, você pode ainda argumentar que pagar R$ 158,00 (com cambio à R$ 2,30/US$) é “meio pesado”. Só que eu te pergunto: em que lugar do Brasil você consegue se hospedar em um Hotel novo, 4 estrelas, por menos de R$ 200,00?  (lembre-se uma boa noite de sono também faz parte da diversão!).

Quarto Deluxe, Hard Rock Hotel (HRH) Panamá. Foto de divulgação.

Dicas:

  • Não existe site nacional no Panamá que centralize reservas ou qualificações de Hotéis, assim abuse de ferramentas como Booking.com; Tripadvisor; Expedia; Kayak e outros buscadores/comparadores, principais os de origem norte-americana e européia que oferecem bons descontos (lembre-se de usar cartão internacional);
  • Evite Hotéis pouco conhecidos/suspeitos! Já vi notícias de turistas roubados dentro de Hotéis de baixa qualidade ou em bairros perigosos (principalmente em Calidonia, San Felipe e Chorrillo). Lembre-se: sua segurança vem em primeiro lugar…
  • Evite Hotéis reservados por meio de pacote turístico e agencia de viagens. Normalmente eles reservam Hotéis locais, de qualidade altamente duvidosa, antigos (mesmo que relativamente bem conservados) e localizados justamente na divisa dos bairros Bella Vista e Calidonia (mas que tanto as Agencias quanto os Hotéis informando estando em Bella Vista, e não em Calidonia…). E o pior: como eles tem acordo de tarifa, é provável que o preço final para você, cliente, fica quase igual ao de um Hotel de 3 a 4 estrelas. Pesquise SEMPRE!
  • Entre em contato com o Hotel para saber das promoções. Os sites oficiais dos Hotéis as vezes dão desconto para pagamento adiantado da hospedagem.
  • Prefira visitar a Cidade do Panamá nos fins de semana, já que os turistas de negócio estão indo embora e quem mora na cidade normalmente vai para o interior ou para as praias, deixando os Hotéis vazios e louco por hóspedes.
  • Da mesma forma, se quiser ir para a Praia, prefira ir nos dias de semana, pois os Hotéis e Resorts estão mais vazios e, por isso, fazem promoções.
  • Impostos (7%) são pagos a parte.
  • Verifique se o Hotel cobra taxa de serviço (que flutua entre 10 a 20% dependendo da cadeia).
  • Está em dúvida da localização? Visite o Guia que preparei para tentar de ajudar um pouco…
Quarto Riu Plaza. Foto tripadvisor.com

 

 

Arquipélago Caribenho de Bocas del Toro

Hotel Punta Caracol. Foto de Divulgação.
Hotel Punta Caracol. Foto de Divulgação.

Estou passando por aqui hoje para deixar um post rápido sobre Bocas del Toro, por meio do ótimo relato do Luis Fernandes em seu Blog Boa Viagem.

Bocas del Toro é um arquipélago ao norte do Panamá, já na divisa com a Costa Rica, em pleno Caribe, sendo um lugar com autêntica aura e arquitetura caribenha. Esse é o lugar praieiro com melhor estrutura turística no Panamá.

Além das águas azul turquesa, várias ilhas e praias, o visitante pode fazer mergulho, surfar ou cair na farra em um de seus bares, pois é um lugar muito visitado por turistas americanos e europeus, principalmente mochileiros, o que trás uma vibe diferente ao local.

Saindo da Cidade do Panamá, Bocas fica há 55 minutos em avião pela AirPanama.com ou via terrestre (carro ou ônibus), em 7 horas de viagem pela via Panamericana.

Destaque especial para o Hotel Punta Caracol, com suas cabanas sob o mar, tudo ao melhor estilo “Tahiti”. Mas aqui você encontra de tudo: Albergues, Pousadas, Hotéis e Resorts (mas não do perfil de ultra mega resorts “all inclusive” à lá de Punta Cana, mas Resorts menores com estilo “de charme”).

Também recomendo ler a aventura do Victor Andrade.

Boa leitura!

Mapa das Ilhas de Bocas. bocasdeltorotravel.com

Foto aérea de Cidades de Bocas (Bocas Town). Bocasdeltorotravel.com

Careening Cay Resort Careneros, Bocas del Toro. Panamainsiders.com
Ilha Red Frog. Foto por Hotel Palma Royale

Colón e sua Zona de Livre Comércio

Colón, Google Maps

A Cidade de Colón fica na Província de Colón, ao norte da Província do Panamá e é a principal cidade daquela Província. Colón já foi uma região muito importante no país: era por onde se dava a entrada/saída do Caribe:  os espanhóis despachavam o ouro e outras riquezas para Espanha a partir de Colón, riquezas estas que eram trazidas das suas colônias do Pacífico e entravam via Cidade do Panamá (pacífico), cruzando os 8Okm do istmo por terra.

Mais adiante, após a independência da Espanha e da separação da Colômbia, A cidade de Colón foi oficialmente fundada em 1850, por ter ainda certa importância geográfica, enquanto os EUA construíram e controlavam o Canal. Quase toda a zona ao redor do Canal até o porto de Colón era una zona militarizada dos EUA, e a economia local girava em torno do exército e os serviços prestados para os militares e suas famílias.

Colón, Porto de Colón e Zona Livre ao Fundo. Foto por: http://turismoprovinciadecolon.blogspot.com/

Já um pouco antes da devolução do controle do Canal pelos EUA aos Panamenhos, a Colón começou e perder importância política e econômica, quando culminou a queda com a saída das tropas dos EUA em 1999, aí a cidade mergulhou num período de pobreza e violência.

Assim, apesar da rica arquitetura e da importância histórica, a cidade de Colón infelizmente recebe pouca atenção. Devido às condições de pobreza, violência e falta de estrutura turística, não é muito recomendável passear pela cidade. Atualmente está se iniciando um movimento importante de navios de cruzeiro que viajam pelo sul do Caribe partindo de Colón, talvez este seja um importante estopim para facilitar investimento e melhorar a estrutura e economia da cidade: torceremos por isso!

Forte de Portobelo, Colón. Foto por: http://turismoprovinciadecolon.blogspot.com/

Turismo na Província de Colón:

Sendo a porta de entrada e saída do Caribe, Colón tem uma importante mistura de etnias e culturas, principalmente da cultura negra, devido à imigração de escravos libertos ou fugidos das ilhas do Caribe (Colón tem a maior população negra do Panamá) para trabalhar na construção do Canal, misturando-se aí a cultura africana e hispânica (além da indígena) e línguas como espanhol, inglês, francês e o papiamento.

Apesar da Cidade de Colón ter pouca (ou nenhuma) estrutura turística, a Província de Colón ainda trás importantes atrativos, como:

Trem Panamá-Colón. Foto por http://www.guiaenpanama.com

Cruzeiros pelo Sul do Caribe

Estão se (re)iniciando, agora, uma onda de cruzeiros pelo sul do Caribe (alguns chegando até Miami) saindo do Porto de Colón 2000, na cidade de Colón. Assim há muitos brasileiros que vem ao Panamá por avião para seguir o cruzeiro. Neste caso, você tem duas opções de transporte/hospedagem locais:

 

  • Hospedar-se Cidade do Panamá: caso queira aproveitar um par de dias para visitar a Cidade e fazer compras, a melhor opção é se hospedar na Cidade do Panamá, hotéis não faltam aqui. A distância entre a Cidade do Panamá e Colón é de 80km (ou 1h de viagem), que pode ser feita:
  1. Trem – saindo da estação de trem de Albrook-Las Cardenas vai direto pro porto Colón 2000, passando por dentro do Canal.
  2. Ônibus – saindo do Terminal Albrook, é o meio mais barato, mas te deixa dentro da cidade de Colón, tem que tomar outro táxi para ir até o porto.
  3. Taxi – meio mais caro, a ser negociado na sua chegada no Panamá
  4. Shuttle – também caro, a ser contratado com alguma empresa de turismo ou hotel local.

 

  • Hospedar-se na Cidade de Colón: dentro da cidade não há hotéis turísticos. A melhor opção é ficar em um dos resorts que ficam ao redor da cidade de Colón, onde muitos turistas de negócios ficam, e contratar um shuttle (ou taxi) to Hotel até o porto:
  1. Hotel Meliá Panamá Canal
  2. Four Points by Sheraton Colón
  3. Radisson Colón 2000 Hotel & Casino

Zona Livre de Colón: compras

Em 1948 foi criada a Zona Livre de Colón, o entreposto comercial mais importante das Américas. A Zona Livre é servida por 3 portos super modernos, os mais importantes do Caribe. Mas fazer compras em Colón não é tão mamão-com-açúcar como se pensa:

  • A Zona Livre é uma área comercial para vendas no Atacado. Assim se obtém um preço baixo ao se negociar uma grande quantidade de itens;
  • A Zona Livre é destinada às empresas e compradores atacadistas. Turistas, em principio, tem entrada restrita. Claro que muitos entram, mas prepare-se para ficar a margem da lei e ter que pagar um “cafezinho” para a segurança;
  • Uma vez dentro da Zona Livre é uma loucura, é uma cidade murada feita só de lojas, e muitas lojas não vendem no varejo. Então ou você sai à caça das lojas que vendem em varejo (perdendo tempo precioso), ou contrata um guia para te ajudar na sua busca;
  • Ao encontrar a loja de varejo, muito provavelmente a diferença de preço não vai ser tão grande (se comparada à Cidade do Panamá, uma média entre 10 a 15% a menos, e alguma promoção pode te dar uns 25% de desconto);
  • Da mesma forma, não se deveria poder sair com itens comprados da Zona Livre. Ao sair da Zona a pessoa tem que pagar imposto. O correto é: ao se comprar, a loja que vendeu se encarrega de enviar a mercadoria para o Brasil (se for por atacado) ou ao Porto/Aeroporto (se por varejo). Assim, sair com sacolas grande dali é arriscado e, mais uma vez, vão te pedir o famoso “cafezinho” para facilitar as coisas; e
  • A partir de Agosto de 2014, está proibido vender a Varejo na Zona Livre de Colón. Saiba mais aqui.
  • Por fim, a Zona Livre funciona somente de Segunda a Sexta, em horário comercial.
Zona Livre, por http://www.panamaamerica.com.pa
Zona Livre, Fonte: Laprensa.com
Zona Livre, fonte: Laprensa.com

O Canal do Panamá, por outro ângulo

Travesia do Canal, por Billy do http://airdesignstudio.blogspot.com

Bem, a gente sempre está acostumado a ver o Canal do Panamá pela Eclusa Miraflores, de “fora pra dentro”, ou de “cima pra baixo”, ou seja, você vê o trafego a partir da eclusa, como mero espectador.

O que pouca gente sabe é que dá pra fazer o inverso: saber como é passar pelo Canal e ver as coisas de “dentro pra fora”.

Foi isso o que a Blogueira Billy, que é portuguesa, fez: uma travessia pelo canal (veja aqui).

Existem dois tipos de travessia:

  • O completo, que dura um dia inteiro, que começa na Cidade do Panamá (Pacífico), cruza todos os 80km do Canal, e termina em Colón (Caribe), retornando de carro à Cidade.
  • O parcial, que dura meio dia, que começa em Gamboa, perto do Lago Gatún (no meio do Canal) e vai em direção à Cidade do Panamá passando por 2 eclusas.

Serviço:

http://www.canalandbaytours.com/eng/index.php

http://www.pmatours.net/

O Clima do Panamá

A primeira coisa ao se planejar qualquer viagem é conhecer o clima do seu destino, por isso, para fugir um pouco do be-a-bá climato-geográfico, também lhes faco uma análise prática do clima no Panamá.

Oficialmente, o clima do Panamá é o do tipo tropical úmido, com uma época chuvosa muito extensa (Maio a Janeiro)  com precipitações que variam de 1,300 a 3,000 mm, e uma época seca curta (Janeiro a Maio). As temperaturas médias de 24oC a 29oC com picos de 32oC.

Na prática, o que você vai encontrar, principalmente na Cidade do Panamá, é:

  • de Janeiro a Maio: Muito sol, calor e umidade relativamente baixa (tipo, minimo 70%)
  • de Maio a Janeiro: Muita chuva, calor e mais umidade ainda (90-95%)
Um lindo dia ensolarado de verão. Foto por Anderson Alves, Casco Viejo.
Um lindo dia ensolarado de verão. Foto por Anderson Alves, Casco Viejo.

Na época chuvosa normalmente o dia nasce claro, com sol bonito e forte e, do nada, por volta das 11 da manha o tempo vira, o céu fecha e é sempre seguro que vai chover a tarde. Só que normalmente as chuvas não se estendem por mais que 1 hora, depois cessam, pode voltar a chover algumas pancadas em áreas isoladas, e o dia fica cinzento (muitas nuvens). Assim que se você quer vir ao Panamá só para conhecer o Canal e fazer compras, não deve sofrer muito com as chuvas nesse período.

O destaque fica por conta nos meses de Outubro e Novembro, de maior intensidade de chuvas, normalmente caem pancadas muito fortes de inundam vários pontos da cidade. Em 2011, por exemplo, choveu tanto que as águas contaminaram as plantas de tratamento de água potável e a cidade teve 1 semana de racionamento de água. Isso é muito ruim pros residentes, pois normalmente as áreas turísticas são muito pouco afetadas, passou a chuva, as coisas voltam ao normal, a não ser por algum reflexo (reação em cadeira) no transito.

No mais, o Panamá não está na zona de furacões, então não há muito perigo de ter um tsunami por aqui…

Agora, se você realmente quer aproveitar o dia, passear bastante, visitar locais e praias, então programa-se para vir entre Janeiro e Maio, o “verão” panamenho, onde faz bastante calor e não chove.

Olha ai, o tempo fechando em plena época de chuvas, Outubro de 2013, por volta do meio dia. Foto por Anderson Alves
Olha ai, o tempo fechando em plena época de chuvas vindo do Oceano Pacìfico, Outubro de 2013, por volta do meio dia. Foto por Anderson Alves
Rua residencial inundada, chuvas de Novembro. Fonte: Jornal La Prensa.

Exceções:

  • Caribe: normalmente chove de maneira mais constante (com pancadas curtas) no Caribe.
  • O lado Pacífico recebe menos chuvas que o Caribe;
  • A zona das praias Blanca e Farrallòn (onde estão os resorts) è reconhecidamente um “cinturão seco”, onde se chove muito pouco, assim mesmo que você veja aquelas nuvens pesadas ao fundo, provavelmente a chuva não vai cair nesta zona…
  • As áreas de montanha: El Valle, Boquete e Cerro Punto, tem temperatura mais moderada (máxima 26oC) e chove bastante também.